Quando Chloe Dunstan tinha apenas 28 semanas de gravidez, ficou incrivelmente animada com a perspectiva de ter trigêmeos. Infelizmente, esse entusiasmo logo se transformou em preocupação quando os médicos a forçaram a tomar uma decisão dolorosa.

Descobriu-se que os dois de seus bebês estavam saudáveis, mas o terceiro simplesmente não sobreviveria, a não ser que fizessem o parto dele prematuramente, fazer o máximo para tentar salvá-la fora do útero.

Chloe foi informada de que poderia deixar a menina e os dois garotos estariam sem risco; mas a jovem mãe sabia em seu coração que teria que tomar uma decisão difícil — e ninguém nunca disse ser corajoso é fácil!

Ela pensou um pouco antes de fazer uma das escolhas mais valentes do que qualquer um poderia imaginar. Esta decisão teria um efeito duradouro sobre a família para o resto de seus dias.

Leia comovente história de Claire abaixo.
Chloe e seu marido Rohan já tem três belos rapazes, mas eles realmente queriam ter uma menina.

Eles decidiram que iriam tentar uma última vez para terem o quarto bebê — e não mais que quatro!

Então, quando Chloe descobriu que estava grávida…

…todos ficaram muito felizes com a ideia de ter um novo irmãozinho! Algumas semanas mais tarde, a mãe foi buscar o ultrassom e foi quando tiveram o choque de suas vidas…

“Quando disseram que nosso suposto quarto e último bebê seria, realmente, o nosso quarto, quinto e sexto, fiquei completamente chocado, para ser honesto. Estou com medo, animado, oprimido, feliz, confuso… não sei” — disse o pai.

Algumas semanas depois, como sua barriga começou a ficar realmente grande, Chloe foi fazer um checkup no médico.

Descobriu-se que havia uma menina, mas ela não estava crescendo muito. Seus irmãos estavam ocupando todo o útero e a cada dia a situação da menina foi ficando pior e pior…

Os médicos contaram a Chloe que seria provável que a filha morresse se não fosse operada. Mas remover cirurgicamente todos os bebês seria arriscar os dois meninos saudáveis.

A jovem mãe foi forçada a fazer uma escolha: ela deveria dar à sua menina uma chance na vida e colocar em risco seus irmãos também ou deveria deixar os meninos saírem fortes e saudáveis, sem chance para sua garota?

Os médicos alertaram-na sobre os riscos, mas ela manteve a fé.

“Na época, eu mal conseguia ouvir nada disso… Minha mente dizia ‘Eu quero todos os meus bebês’, fiz um monte de pesquisa e tentei obter uma resposta… Eu sabia que ia ser difícil, mas não podia desistir dela… Sabia que ela era forte, porque ela fez todo o caminho até as 28 semanas, mesmo tendo poucos nutrientes do útero”.

“Senti tanta culpa sobre a minha decisão, especialmente no início, quando todos os três bebês estavam passando tanto tempo no hospital e minha filha estava abaixo de seu peso ao nascer. com apenas 690 gramas! Ela estava em um respirador artificial, lutando contra infecções, mal se segurando.

Às vezes, eu sentia que havia tomado a decisão errada; às vezes, sentia que se tivesse escolhido a outra opção, nenhum deles estaria sofrendo. Era difícil admitir isso e lidar com esses sentimentos”.

Com o marido Rohan cuidando bem dos outros três, Claire soube que tudo ia ficar bem.

“Meus três bebês, todos eles fizeram isso, e não só isso, mas todos  são muito saudáveis, tanto quanto nós poderiam ser nesta situação. Acho que só queria dizer que estou muito feliz e grata por como tudo funcionou . Fiz a escolha certa  e meu coração dói quando eu penso sobre a alternativa. Não podia imaginar a vida sem ela e estou muito orgulhosa de todos eles! Estou ansiosa em vê-los crescer!”

Fonte: Perfeito Guru

Faça um comentário